20.2.18

"Era como se eu fosse te amar até o último minuto da minha vida, era como se as outras pessoas parecessem chatas e sem graça comparadas a você. Era como se o meu coração nunca mais fosse capaz de amar outra pessoa se não fosse você, pois é, era assustador esse sentimento imenso que eu sentia por você. Mas também era bonito, bonito porque a capacidade de amar é pra poucos. 

Sabe, por muito tempo, eu achei que você era a pessoa mais bonita e apaixonante que já existiu. Nada, absolutamente nada fazia esse sentimento mudar. Nem a tua falta de importância e nem a tua indiferença. Parecia que, quanto mais você pisava no meu coração, mais ele amava você. E hoje, eu consigo olhar pra trás e perceber o quanto meu coração teve que apanhar pra aprender a ver você apenas como mais uma pessoa que passou pela minha vida, que deixou dor, deixou mágoa, deixou falta de consideração, deixou falta de respeito e também deixou muito aprendizado. Consigo perceber que não damos mais certo, por mais que a gente tente, tente e tente, a gente não se encaixa mais . 

Hoje eu acordei, e não consigo mais ver em você o reflexo de uma pessoa apaixonante, não consigo mais ver em você a pessoa meiga e especial que eu conheci. Quando penso em você, só consigo enxergar tristeza e amargura. Quem diria que um dia eu estaria te dizendo tudo isso, né? Mas essa é a verdade. 

Acho que independente dos nossos erros, você poderia ter valorizado mais o que sentíamos um pelo outro, afinal, hoje em dia esse sentimento especial encontra-se tão raro. Mas você preferiu sempre jogar na minha cara os meus erros, enquanto eu, optei por não citar os teus. Mas aí, finalmente eu cansei e acordei, e agora eu consigo vê o quanto as tuas atitudes imaturas foram cruéis, foram desrespeitosasdesonestas e baixas. Acho que você nunca precisou disso, eu nunca precisei disso, nós nunca merecíamos isso, mas se você quis assim, sinto muito

Era como se eu fosse te amar até o último minuto da minha vida. E agora eu sinto enjoo só de pensar em você. Espero que você seja muito mais feliz e muito menos idiota. "


Lucas Praxedes

14.2.18


"É libertador olhar nos teus olhos sabendo que, mesmo depois de tanta angustia e saudade, consegui seguir o baile da melhor forma: Vivendo. Não me rendi as lágrimas que caíram sem parar nas noites em que você me fez falta. Não me rendi a vontade maluca de bater na sua porta e aceitar você do jeito canalha que sempre foi. Não me rendi ao amor que tinha e que matei todo dia enquanto não me rendia. 

Eu acredito que nesse tempo distante você tenha mudado. Tenha refletido todas as merdas que fez comigo, enquanto me deixava exposta numa relação tóxica, que me fazia mal e me deixava mal. Eu acredito que, com o gelo que te dei, você bebeu cada gota da falta que sentiu da menina boba e fácil de enganar.



Mas não se engane. Eu ainda sou capaz de acreditar em tudo o que você disser, como acreditava nas mentiras que contava pra me convencer a te perdoar. Só não acredito mais em você na minha vida. Pertencendo aos meus dias como antes.



Você teve a sua chance, inúmeras até. Perdi as contas de quantas chances eu lhe dei. Eu agora estou livre. Livre do amor que sentia por você. Livre pra amar de novo. Refiz todos os meus planos e você não faz parte de nenhum deles. Estou sonhando outros sonhos.



Eu te avisei. Um dia eu iria acordar pra tomar conta do meu coração. Agora eu só quero tudo o que for leve, tudo o que me fizer bem e tudo o que tiver verdade. Nada disso você tem.


Edgard Abbehusen

16.1.18

"Supondo que a pessoa seja acometida por um arrependimento monumental, que amargue um tremendo remorso e se afogue num mar de culpa… aquele que traiu jamais terá a dimensão exata do buraco gigante que cavou no peito do outro.
Ser traído é ter a confiança roubada pelas costas. É ter a inteligência subestimada e a auto estima picada em minúsculos pedacinhos.
A dor da traição é extremamente complexa, porque quebra no interior daquele que foi traído os alicerces sobre o qual fora construída a relação.
Ser enganado altera a capacidade de interpretar os sentimentos. Ficamos frágeis, confusos, temos dificuldades em discernir o que é real, do que é ilusão destruída.
Não raras vezes, aquele que é traído acaba buscando em seu comportamento, em suas atitudes a razão para tudo o que aconteceu; torna-se suspeito do mal feito alheio.
E dói. Dói por inúmeras razões. Dói porque é desnecessário, dói porque diminui a importância da história partilhada, dói porque não há nada que justifique a quebra de confiança.
A traição é a mais covarde das escolhas. É a opção pelo caminho mais fácil. É arrastar para dentro de um buraco o que deveria ser honrado e ter valor.
Perdoar a traição é dessas coisas que foge à nossa capacidade racional. E quando acaba acontecendo, muitas vezes é porque existe nessa atitude uma esperança em fazer cessar o sofrimento.
Perdoa-se numa tentativa de retroagir, como se fosse possível apagar os danos. Quase sempre não é. E o tempo acaba revelando fissuras no relacionamento, trincas por onde emergem ressentimentos, mágoas e culpas.
Por mais que pareça triste, no fim das contas o melhor que se pode fazer é cortar os laços mesmo. Deixar que a ferida cicatrize em paz. Seguir em frente e deixar que o outro descubra por si mesmo que havia outra escolha, ele só não foi capaz de fazê-la.
E depois disso, de ter sido capaz de desenhar no fim dessa história um definitivo ponto final, projetar para si mesmo um modelo mais saudável de relação, na qual o compromisso seja partilhado, assumido e respeitado por todos os envolvidos. Porque errar na escolha do parceiro uma vez é humano, persistir na escolha errada é falta de amor próprio mesmo."

Ana Macarini